quarta-feira, 5 de outubro de 2011



CRESCER DÓI

Sempre ouvi dizer assim... Crescer dói. Creio hoje que em diversos aspectos isso é a mais pura verdade, e em se tratando em sermos servos de Deus, creio que dói mais ainda. A Palavra de Deus diz: Vinde a mim como estás! Sim, quando chegamos a reconhecer a Cristo como Senhor e Salvador de nossas vidas estamos sujos, feridos, rejeitados, abusados, traídos, ou seja, totalmente enfermos e isso se deve aos longos anos afastados do amor de Cristo vivendo no tempo da ignorância a qual Ele não leva em conta isso. Aceitamos a Jesus, nos batizamos, e vivemos a fogo do Primeiro amor em Cristo. Ali tudo é festa, alegria e contentamento, oramos nas madrugadas, pedimos por unção, intimidade com Ele, enfim, ficamos praticamente 24 horas ligados no Trono. 
Confesso, é gostoso este momento. Na prática deveríamos ser assim o tempo todo, mas a vida segue seu rumo e para lembrar Jesus nos disse com todas as letras que no mundo tereis aflições...Somente este primeiro trecho já nos mostra que ser servo/cristão não seria tão fácil como se imaginava. Aí é que começa a verdadeira batalha em nossas vidas. Quem nunca se deparou com uma decepção, uma desilusão dentro de um ministério, com pessoas, com familiares, com amigos, namorados/as, maridos e esposas etc? Quer saber? Isso é uma coisa natural porque temos relacionamentos com pessoas e elas são falhas e cometem erros. Lembra-se de como você chegou diante de Deus na primeira vez? Agora por estarmos em outra posição esta sujeira ainda é maior, porque normalmente não abrimos o nosso coração para sermos limpos; sempre existe um quartinho dos fundos, o quartinho da “bagunça” que muita das vezes a gente joga a chave fora só para não ter que olhar para ele e também deixar seguro sem que ninguém veja as coisas que estão lá dentro. Por isso que está escrito que muito será dado, mas muito será cobrado. Este caminhar em direção ao nosso crescimento é que dói. Mas graças a Deus que o trecho acima mencionado não parava por ali...No mundo tereis aflições...MAS TENDE BOM ÂNIMO PORQUE EU VENCI O MUNDO, ou seja Jesus afirma que é possível vencer o pecado e se Ele venceu, nós devemos ao menos tentar seguir este princípio, porque perfeito, só Ele mesmo. 
O caso é que devemos enfrentar os paradigmas, vencer sofismas e derrubar pseudo verdades mascaradas de verdades para retorcer a visão correta do nosso erro. Crescer dói e muito. Se deparar diante de nós como um reflexo nada bonito de se ver diante de você mesmo, isso é triste e cruel. Mas este confronto é necessário, doloroso, mas necessário. Não podemos servir a Deus carregando em nós, feridas, traumas que com toda certeza vão se refletir em nossa intimidade com Deus. 
Fatalmente estes traumas escondidos vão aparecer mais cedo ou mais tarde, porque Ele não deixa nada em oculto. Segundo Pastor Marcos Borges - Coty, da JOCUM, em seu livro O Obreiro Aprovado, “as áreas dos traumas são alicerces sobre os quais o Inimigo constrói internamente suas fortificações em nossas vidas. Normalmente estas fortalezas malignas alojam-se nos pensamentos e manifestam-se através da mentalidade. Uma das definições literais para estas “fortalezas” espirituais da mente pode ser ilustrada da seguinte forma: uma casa construída por pensamentos, a qual abriga espíritos de natureza recorrente. As fortalezas espirituais são construídas por raciocínios e sofismas, que se apóiam no fracasso, na impotência e desesperança que sentimos em relação aos pecados que praticamos. É quando permitimos argumentos que se baseiam na incapacidade de evitar aquilo que sabemos, claramente, ser contra a vontade de Deus. Nosso intelecto torna-se o playground de Satanás”.
Será que fica claro o porquê crescer dói? Não podemos fazer a obra de Deus de qualquer maneira, mesmo que sua intenção seja a correta, porque Deus quer nos curar para depois nos usar de maneira perfeita e de acordo com suas Palavras. Por amor a nossa vida Ele precisa que nos arrependamos porque todo arrependimento genuíno gera mudanças e com isso vem a reconciliação, a restauração e a restituição e é por isso que devemos procurar nos apresentar a Deus, aprovados, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a Palavra da Verdade e estarmos aprovados para colocar a mão no arado e trabalhar na obra de Deus sem medo. 

Cristina Miranda - Espaço Elohim