quarta-feira, 16 de agosto de 2017

O MAL DO SÉCULO: NOSSA MENTE E NOSSOS JULGAMENTOS







É engraçado que quanto mais a gente lê, quanto mais a gente aprende, mais dá vontade de saber. Conhecimento é viciante, mas um vício bom que te acrescenta, te faz amadurecer e crescer. O conhecimento pode ser comparado a um doce que você goste muito e que fica impossível comer um só. Ter o Espírito Santo como mestre e principalmente como amigo está sendo um grande aprendizado na minha vida. Minha mente não reage mais aos assuntos do cotidiano como agia anteriormente, porque tudo tem um colorido que não havia antes. Diante de qualquer situação vivida, lida, vista na TV ou na internet me afloram perguntas que imediatamente coloco em pauta com meu amigo Espírito Santo e juntos vamos desbravando os temas mais improváveis que posso imaginar. É tanta coisa que existe dentro do ser humano em si mesmo que daria páginas e mais páginas de incontáveis livros e publicações. Sempre gostei muito de ler e estudar e escrever sobre coisas que me interessava. Nunca me vi uma blogueira, mas como hoje tenho este recurso ao meu alcance, não me fiz de rogada e comecei a desbravar esta selva que já existem de tudo o que é tipos, assuntos e estudos. As margens das antigas folhas de papel almaço em que eu tinha que usar para fazer as minhas redações ficaram extensas longas e infinitas, pois não existem mais limites para a nossa tecnologia atual. Abraçar essas ferramentas foi um clique e com uma ajuda extra do meu amigo Espírito Santo tenho redigido artigos que não é porque foi eu quem escreveu, mas tenho gostado muito e o melhor de tudo está sendo o processo de criar todos esses post no Blog. Estar a disposição para passar por tudo esse processo tem sido no mínimo gratificante, pois eu mesma tenho crescido e me alegrado em Deus por tudo que tenho recebido de graça e pela Graça. Pode parecer estranho, mas em tudo vejo a mão de Deus nas coisas mais simples da vida. As pessoas que me conhecem e estão acompanhando meus posts afirmam que mudei de nível nas publicações e se vocês lerem meus posts antigos fica nítido essa diferença. É fato! A evolução existe para todos que querem mudar!

Ser profundo na simplicidade é muito complexo, porque temos que ter um nível de entendimento muito alto que teria creio que por meio de cursos ou faculdades, enfim, qualquer ambiente que faça a nossa mente emergir da ignorância e começar o pensar. O estímulo ao pensamento seria muito bom, mas na sociedade em que vivemos isso é um instrumento muito complicado e perigoso para estar em determinadas mãos. A manipulação do conhecimento, da mente, das pessoas, já nos mostrou historicamente que não dá certo esse tipo de "escola". Os detentores do poder/conhecimento normalmente dentro da história da humanidade sempre  foram pessoas que possuíam características meio que comuns: eram cultos, estudioso ou perturbados emocionalmente. O lado emocional do ser humano mostra muitas das vezes que não somos capazes de aceitar o tamanho dos nossos próprios fantasmas; não sabemos gerenciar as nossas próprias emoções. Somos feitos de tantas células, tecidos, órgãos, e muito material genético, mas o que vai contar muito em cima desse "chassi" chamado corpo humano é o que temos dentro de nossa cabeça. Quanto mais emocionais, sanguíneos, verborrágicos, sensíveis, irados, temperamentos difíceis ou extremamente tímidos e introvertido; tudo isso vai recair sobre o nosso corpo e aí a mente vai se sobrepor ao corpo, porque é nessa hora que o corpo padece pelo o que passa pela nossa cabeça. Lixo emocional e saber gerenciar as nossas emoções são temas muito atuais nas principais #hashtags na rede, pois sempre haverá do que se falar sobre as nuâncias que envolvem o fator humano e onde habita em suas mentes. Os psiquiatras e psicólogos que o digam, pois esta seara está cada vez mais necessitada de seu olhar, pois a humanidade está padecendo com o mal do século: CRISE DE ANSIEDADE. Este tema tão peculiar e atual não me passou desapercebido quando conversando com uma amiga de trabalho no qual ela me confidenciou que não sabia se ela iria trabalhar no dia seguinte, porque ela estava tendo crises de pânico. Muitos a volta dela falam e a maioria das pessoas pensam que é "frescura" que é "corpo mole", uma "besteira" que a pessoa se deixa levar ao desespero. O pânico é algo que nasce dentro da mente e toma por completo o seu corpo e ele dá sinais de taquicardia, sudorese, tremedeira, falta de ar, sensação de morte iminente e muitos outros sintomas. Pode se apresentar como problemas para estar perto de pessoas e parece que o mundo as esmagam, as paredes se mexem como que as devorasse. É assustador, pare para pensar... onde está a frescura nisso? O que mais me chamou a atenção foi ela disse assim: "Obrigada pelo apoio" e eu respondi "Que isso, não me agradeça, não fiz nada... só não julguei você" e ela me respondeu: "Foi diferente da maioria e ainda está me ajudando." Isso me fez parar pra pensar, pois o que temos lá fora é um monte de pessoas prontas para te julgar; julgar sua roupa, suas palavras, seus desejos, sua postura, enfim, uma série de coisas que acabamos que quando vivemos em uma sociedade como as de hoje, em que as brigas de criança tomaram outra dimensão chamado de bullying, que ao contrário da minha época nas brigas de colégio em que brigávamos na saída e depois cada um ia pra casa com seu machucado pra casa; hoje é altamente letal sendo categorizado como crime. O mundo caminha para sua autodestruição, pois a nossa mente está caminhando para isso. A falta de tempo, o stress, as cobranças, metas impostas, a falta de gestão empresarial em muitos aspectos, muitas horas de trabalhos e uma remuneração que em muitos casos não compatíveis com as cobranças, enfim, tantos fatos que giram em torno da vida profissional que acabam afetando a vida como um todo. A maior parte do dia de um empregado normal (8 horas do dia) é ficar num ambiente altamente nocivo se sua mente estiver sendo bombardeada por ofensas subliminares e assédios morais. Muita coisa gira em torno de nosso ambiente de trabalho que nem sempre só flores. A ansiedade tem elevado o nível de pessoas que precisam de afastamento médico para se tratarem porque elas não conseguem segurar  pressão do dia-a-dia e acabam sucumbindo aos problemas de insônia, pânico, ou seja, situações que começam na cabeça e acabam afetando o corpo diretamente. 

Quando digo que tudo me chama atenção agora eu não estou mentindo. Minha mente está ligada em outro patamar e por conta de uma frase de uma amiga numa conversa no WhatsApp me chamou atenção a querer e fluir sobre este assunto. Mas não é só isso; parece que tudo que tem a minha volta estão ligadas a mim de alguma forma e aí consigo liga-las de alguma maneira com a Palavra que é o objetivo deste Blog. Estou lendo um livro publicado em 2016, e que está bem próximo de ir parar nas telonas dos cinema. O Livro é O Homem Mais Inteligente da História que nada mais é a própria Odisseia do autor, psiquiatra, psicólogo, dentre outros títulos acadêmicos, que era ateu e mergulhou dentro de si mesmo e se envolveu tanto no meio dos ensinamentos de Cristo, que isso foi capaz de modificar o caminho por ele inicialmente havia trilhado em uma pessoa que hoje crê em Deus e em Jesus Cristo. Ele estudou a mente de Cristo de uma maneira científica, mas mergulhando de cabeça.  Voltando  a minha conversa com minha amiga um trecho ficou muito nítido na narrativa dela "(...) Sem amor não há inclusão social sustentável. A Europa, palco da Primeira e da Segunda Grande Guerra, precisa redescobrir um Jesus não religioso, uma amor que transcende barreiras culturais, que abraça mais e julga menos, (...)". Contundente essa pequena frase, mas muito real e verdadeira que habita fora páginas de um livro considerado de auto ajuda. Jesus foi um grande exemplo para todos nós sempre ouvimos isso, mas nunca vimos a dimensão do que isso significava. Sendo o autor médico ele escolheu estudar o livro narrado pelo médico Lucas para fundamentar o seu achismo. O autor achou que nada haveria para estudar nesse livro apesar de ser narrado por outro médico e ele indagava: Como é que uma pessoa inteligente, que fez o juramento de Hipócrates como médico pôde seguir para o resto de sua vida um mero crucificado? Esse é Jesus! Não tem explicação, mas podemos viver isso. Falo de Jesus, mas Deus já tinha planejado tudo e muito mais, Ele quando viu que o homem não sucumbiria ao mal; Ele se encarregou de deixar tudo bem explicadinho nas linhas de textos e mais textos, no qual, inspirados pelo meu amigo Espírito Santo, usou de homens que aceitaram a tarefa de deixar registrado a solução dos problemas da humanidade. Várias passagens bíblicas mostram as respostas para aprendermos a gerenciar as nossas emoções e variados dilemas. 

Em Mateus 6:25 vem intitulada assim na Bíblia King James Atualizada "As Preocupações da Vida". Já pelo título entendemos que Deus já sabia de nossas necessidades e preocupações cotidianas e assim pôs Jesus para ensinar que "Portanto, eu digo: Não se preocupem com a sua própria vida, quanto ao que comer ou beber; nem com seu próprio corpo, quanto ao que vestir. Não é a vida mais importante que a comida, e o corpo mais importante que a roupa? Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Quem de vocês, por mais que se preocupe, pode acrescentar uma hora que seja a sua vida? Por que vocês se preocupam com roupas? Vejam como crescem os lírios do campo. Eles não trabalham nem tecem. Contudo, eu digo que nem Salomão, em todo o seu esplendor, vestiu-se como um deles. Se Deus veste assim a erva do campo que, hoje existem e amanhã são lançadas ao fogo, não vestirá muito mais vocês, homens de pequena fé. Portanto, não se preocupem, dizendo: Que vamos comer? ou o que vamos beber?ou Que vamos vestir? Pois os pagãos é que correm atrás dessas coisas; mas o Pai celestial sabe que vocês precisam delas. Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês. Portanto, não se preocupem com o amanhã, pois o amanhã trará as suas próprias preocupações. Basta a cada dia seu próprio mal." Seria razoável tentar entender que a solução para as preocupações diárias de hoje podem ser resolvidas dessa maneira? Como seria mais fácil entender nas entrelinhas e fora delas que Deus CUIDA de nós nos mínimos detalhes. Mas tem uma condição: Em primeiro lugar temos que buscar o Reino de Deus que as demais coisas nos serão acrescentadas! Para nós que temos acesso a esse conhecimento, porque entregamos a nossa vida a Cristo já é complicado, imagina para quem não entregou-se e nem a Cristo? Outra passagem bíblica muito difundida e que nos mostra o quanto Deus nos ama no verbo presente é de Salmos 23. Na Bíblia King James Atualizada diz que "O Senhor é meu pastor; nada me FALTA. Em verdes prados me faz descansar, e para águas tranquilas me guia em paz." Olha que certeza maravilhosa! Compreendem quando digo que Deus é um Deus do nosso presente? Porque no Antigo e no Novo Testamento Ele revela que Ele está cuidado de nós o tempo todo.  Deus também é Aquele que fez grandes obras no passado e Aquele que fará grandes obras no futuro, mas na nossa vida do dia-a-dia de hoje nesse exato momento em 2017 Ele já CUIDA de nós nos mínimos detalhes. 

A resposta do mundo para a minha amiga seria "deixa de palhaçada e vá trabalhar", mas Deus me deu Graça para dizer "não me agradeça eu não fiz nada... só não julguei você". Julgamentos são venenos que caem com conta gotas ou a baldes dependendo da situação. Desde muito cedo Deus mostrou ao seu povo que os julgamentos feitos aleatoriamente sem nenhum senso de justiça são perigosos e não são certos (Levíticos 19:15). Apesar de estarmos inseridos em uma sociedade democrática e que nela existem as leis do Estado; estamos também sujeitos a sermos julgados pelos nossos atos, mas de outra forma e só cabe a Deus nos julgar, e pode crer que irá chegar esse tempo em que estaremos diante Dele para o nosso acerto de contas. Quando julgamos uma pessoa colocamos nela estigmas que muitas das vezes não são verdadeiros e acabamos rotulando as pessoas para sempre. Quando julgamos é o mesmo que apontoar os erros dos outros sem que antes vejamos os nossos próprios erros; e na maioria das vezes é o mesmo erro do outro. Quando julgamos a racionalidade parece estar ao nosso lado, mas esquecemos que do outro lado existe uma pessoa que por algum motivo agiu de uma determinada forma, ou se vestiu de uma determinada forma, mas houve uma razão. Apoio  é melhor que julgar, pois se não fosse assim não teríamos sobre nós todos os dias um sol raiando significando que Deus teve misericórdia de nós e permitiu que abríssemos os nossos olhos novamente pela manhã. Se Deus teve misericórdia de mim e de você este dia, porque vou olhar com olhos de julgamento para uma pessoa que está ao meu lado? Porque vou censurá-la sem saber antes o que acontece? A maioria dos bullyings que ocorrem hoje em dia são baseados em julgamento que uma pessoa faz e que persuade a outros a ver a mesma coisa que ela e assim começam a caçada brutal. 

A mente humana é capaz de feitos extraordinários, tendo em vista, no auge da evolução e tecnologia que vivemos hoje, no entanto, a mesma mente capaz de produzir feitos tão extraordinários também é capaz de criar pensamentos e verdades inexistentes que só levam ao corpo físico dor e sofrimento. A mágoa e rancor causado por terceiros, por exemplo, são extremamente nocivos a nossa saúde física. A falta de perdão também é outra forma agravante de doenças físicas causadas pela mente. Somos máquinas maravilhosas ricamente criadas para ter um funcionamento perfeito, mas devido ao nosso caráter nos separando do Amor de Deus acabamos ficando perfeitamente imperfeitos, mas entender  e abraçar essas imperfeições não nos tornam menores ou coitados aos olhos do Pai. Abraçar e aceitar as nossas mazelas e limitações nos ajuda a nos sentirmos vivos e capazes de aceitar as nossas limitações, mas o que mais importa nesse processo é além de aceitar as nossas limitações precisamos entender as limitações do meu semelhante. Abrace mais e julgue menos, abrace mais e aponte menos, abrace mais e fale menos. Abraço é terapêutico e capaz de curar feridas que nosso olhos não são capazes de enxergar, mas que maltratam o corpo físico. 



Todo lixo emocional vem encharcado de silêncios, acusações, medos, desrespeito, repreensões. Não expomos as nossas fragilidades por medo dos julgamentos e apontar de dedos. Jesus não julgou ninguém em toda a sua caminhada em nosso meio, ao contrário, Ele compreendeu as mazelas e limitações da vida, pois sendo Ele somente o único que restou no quase apedrejamento da mulher pega em adultério; podendo Ele atirar a primeira pedra naquela mulher, ELE NÃO ATIROU! (João 8:1-11) Tem um música do rock nacional que diz: "Quem não tem teto de vidro que atire a primeira pedra!" 
E você, seu teto é de vidro? Pode atirar a primeira pedra?


Cristina Miranda - Espaço Elohim